MODULAÇÃO HORMONAL

Muita gente ainda confunde os termos Reposição Hormonal (ou Terapia de Reposição Hormonal) e Modulação Hormonal. Repor hormônios significa elevar os níveis de hormônios que estejam deficientes em uma pessoa, por exemplo, usar o hormônio tireoidiano em pacientes com hipotireoidismo.

Modular é diferente. Muitas vezes alguns hormônios estão em excesso e precisam ter seus níveis reduzidos ou em outras situações os hábitos de vida do paciente são ruins e por isso há desequilíbrio na atuação e produção de hormônios. Outros casos há problemas com os receptores dos hormônios ou como alguns hormônios são transformados pelo corpo em outros ou atuam uns nos outros, para fazer esse ajuste, é necessário o fornecimento de precursores para a sua produção ou nos fatores causais dos distúrbios. Por isso o termo correto não seria “reposição”, pois nesse caso, o tratamento não é feito com hormônios e sim com mudanças de hábitos ou com precursores de hormônios ou substâncias que bloqueiam as enzimas que causam essas alterações. Isso tudo de acordo com suas queixas e seus exames.

Quem vê o melhor tratamento para você é o seu médico.

Alguns pacientes têm queixa de fadiga, depressão, queda de libido, perda de massa magra, ganho de peso, relatam não conseguirem sair da cama. A primeira coisa a se observar são exatamente os hormônios, principalmente o cortisol. O cortisol (próximo texto vai ser falando justamento dele) elevado ou muito baixo pode ser modulado com o uso de substâncias conhecidas com adaptógenos: Rodiola Rosea, Aswagandha, Phelodendron, Magnolia, Licorice, etc; níveis melhores de GH (hormônio do crescimento) podem ser obtidos via administração adequada de alguns aminoácidos, promoção de sono adequado etc

 Importante saber também, que níveis ideais de hormônios (nem altos e nem baixos demais) protegem contra algumas doenças, inclusive doenças cardíacas e até câncer.

Modulação hormonal, portanto, é buscar restaurar bons níveis hormonais gerais no paciente sem necessariamente fazê-lo através da reposição de hormônios prontos, e sempre junto à promoção de hábitos saudáveis de vida por parte do paciente.

Somente o médico pode prescrever e acompanhar o uso de hormônios, mas todo profissional de saúde que através da sua prática diária visa auxiliar o paciente a recuperar seu equilíbrio hormonal, via nutrientes, prescrição de exercícios ou tratamentos em geral está agindo indiretamente nos hormônios deste paciente.

Portanto, se a prescrição e administração de hormônios torna-se necessária, somente o médico pode fazê-lo e é quem habitualmente tem o conhecimento necessário para isto.

Sempre busque sempre BONS profissionais, com experiência, sem radicalismos ou preconceitos e que esteja realmente interessado no seu caso.

E é claro que tem gente usando mal este “rótulo” de Modulação Hormonal, aparentemente com fins comerciais e/ou defendendo interesses próprios, mas sabemos que temos muitos profissionais sérios na área.

Procure seu médico, ás vezes o seu diagnóstico está equivocado e o problema está nesse desequilíbrio.

Anabolismo X Catabolismo

Todo mundo fala sobre anabolismo e catabolismo. Alguns pacientes perguntam: "Dra., Mas dessa forma eu não vou catabolizar?". - mas o que é realmente catabolismo? E o que é anabolismo? Vamos entender essa constante "batalha" muscular de anabolismo (construção) e catabolismo (perda). 

O mTOR (Mammalian Target of Rapamycin) é uma proteína , composta por 2489 aminoácidos sinalizadora de síntese proteica a partir de 3 proteínas regulatórias: p70s6k, 4E-BP1 e eIF4G. Esta proteína está assim altamente associada à síntese proteica, estando também implicada em alguns processos de carcinogênese. Ela é estimulada pelo exercício físico, por hormônios como IGF1 (GH na sua forma ativa) e insulina, além de alguns aminoácidos (incluindo BCAA) e alguns suplementos, por exemplo o ácido fosfatídico.

O exercício físico, quando bem orientado e feito de maneira correta, além de estimular a mTOR, estimula também o GH (hormônio do crescimento) a produzir IGF1 pelo fígado, o que gera mais anabolismo. Além disso, o exercício inibe também a AKt, que diminui a degradação proteica e assim evita o catabolismo.

Uma alimentação adequada é fundamental para o anabolismo. Tem que ter um equilíbrio na sua alimentação. Precisa existir qualidade e quantidade adequada para evitar ganho de massa gorda ou perda de massa muscular. Procure sempre seu médico ou nutricionista para saber a melhor dieta para você.

A insulina é o hormônio responsável por carregar a glicose para dentro da célula, gerando energia e anabolismo. Após a alimentação, a insulina se eleva, o que estimula a mTOR. Porém, picos de insulina constantes pode levar a diabetes, para saber como ser boa para ajudar no anabolismo, converse com seu médico. 

O que temos que evitar:

- Produtos industrializados, embutidos (presunto, peito de peru...), enlatados, molhos prontos de salada, molho Shoyo (exceto os livres de glutamato monosódico), sopas em pó, sucos de caixas, refrigerantes, glúten, soja, açúcar refinado, sal refinado, margarina e óleo de cozinha.

Para maiores informações, agende uma consulta.

 

IMPLANTES HORMONAIS

O que são?

São pellets (tabletes) de hormônios escolhidos de acordo com a necessidade do paciente para ser implantados por baixo da pele (subcutâneo) na região glútea e liberam hormônio de forma contínua na corrente sanguínea. Hoje são biologicamente degradável, portanto mais fisiológicos e liberam a quantidade diária de hormônio que nosso organismo necessita e não há necessidade de procedimento para retirada. Cada um contém uma doseque é  liberada diariamente na corrente sanguínea durante 4 a 6 meses.

Os implantes hormonais são chamados pela imprensa leiga de “chips da beleza” uma vez que as mulheres e homens que são implantados apresentam perda de peso gordo, ganho de massa muscular e diminuição da celulite, devido os efeitos anabolizantes de alguns deles. 

Para que servem?

Os implantes hormonais tem várias indicações:

-reposição hormonal em mulheres (climatério e menopausa) e em homens (andropausa)

-ovário policístico, 

-endometriose,  

-miomatose uterina

-fadiga crônica,

-estresse

-hipovitaminose D,

-hipotireoidismo, 

-osteoporose (perda óssea); 

-baixa libido;

-cólica

-enxaqueca da TPM (tensão pré-menstrual).

Através dos implantes hormonais podemos repor estradiol, testosterona e progesterona para as mulheres e testosterona para os homens, além de outros hormônios. Cada uma de acordo com exames e queixas.

O paciente recebe os hormônios e quantidades de acordo com a necessidade. Assim, cada pessoa tem a sua dose ideal. 

É extremamente necessário uma consulta médica acurada e exames laboratoriais, assim, não existe a possibilidade de ser implantando sem consulta médica.

Quem são as mulheres que devem colocar implantes hormonais?

Mulheres portadoras de endometriose, miomas, ovários policísticos, baixa libido, cólicas e enxaquecas da tensão pré-menstrual e como terapia hormonal para as que ultrapassaram os 40 anos e que estejam na transição menopáusica ou na pós-menopausa. Nesta fase, as mulheres apresentam uma série de sintomas, tais como: sintomas vasomotores (calores), dores articulares, formigamentos, dormência nas extremidades, aumento da gordura corporal, principalmente na região abdominal, perda de massa muscular e óssea, perda da libido (desejo sexual), depressão e distúrbios do sono.

Tais sintomas comprometem muito a qualidade de vida, e a capacidade produtiva das mulheres necessitando de intervenção médica. Considerando que as mulheres vivem em média mais de 70 anos, vão passar cerca de 2/3 de suas vidas vivendo mal e cabendo a medicina criar condições e implementar medidas terapêuticas que possam melhorar a vida delas.

Quem são os homens que devem colocar implantes hormonais?

Andropausa, uma analogia a menopausa dos homens. É também uma síndrome que compromete muito a qualidade de vida do homem, decorrente da diminuição da testosterona, que incluem perda da libido, disfunção erétil, redução da massa muscular e da força física, aumento da gordura corporal, perda óssea, diminuição da vitalidade e depressão.

Quais as vantagens do uso dos implantes?

É introduzir a medicação diretamente na corrente sanguínea. Dessa forma, as doses de hormônio são menores do que a dos hormônios dados pela boca, porque não passam pelo fígado nem pelo estômago. Não causam efeitos colaterais indesejáveis porque são bioidênticos.  Além disso, ele evita que as pessoas esqueçam de tomar a medicação, garantindo um resultado mais efetivo. É considerado uma opção moderna para a terapia hormonal e a anticoncepção, são seguros, eficientes e confiáveis.

Quais os efeitos colaterais?

Entre os efeitos colaterais negativos identificados nas usuárias dos implantes de testosterona e gestrinona, quando usados em altas doses, estão voz grossa, pele oleosa e aumento de pêlos devidos os efeitos anabolizantes dessas implantes. O estradiol se usado isolado em mulheres com útero podem determinar sangramentos. Mas a experiência e o conhecimento do médico com os implantes, minimiza muito esses efeitos.

Os efeitos benéficos são a melhora dos sintomas citados acima.

Para maiores informações marque uma consulta.

 

Pycnogenol - Seus benefícios!

O Pycnogenol, Extrato de Pinus pinaste, é um extrato natural encontrado na casca do pinheiro marítimo rico em bioflavonóides (proantocianidinas, catecol e taxifolina), sendo um potente antioxidante. 

Tão potente que pode ser comparado com substâncias como as vitaminas C e E. Entre seus tantos benefícios, ele se destaca pelas suas características antioxidantes e anti-inflamatórias.

Estudos mostram que a suplementação com Pycnogenol ajuda a atrasar o envelhecimento físico e psíquico e é de grande valor para a saúde das artérias e da pele, mas o mais importante é que ele combate os radicais livres preservando a integridade celular, atuando de forma sinérgica com uma série de nutrientes essenciais. 

Ele pode melhorar a função endotelial global, o que é importante na prevenção da ateroesclerose pré-clínica.

Ele tem muitas vantagens e indicações, e uma das mais usadas é em tratamento de pele, para melasma e outras manchas no rosto. Além disso pra impedir trombose venosa em voos longos para pacientes com esse risco.

Mas o Pycnogenol vai muito além, ele também ajuda a proteger as células da pele graças a uma substância retirada das folhas do pinheiro-bravo. Ele traz em sua formulação entre 65 e 75% de proantocianidinas, elementos de grande bio-disponibilidade.

Isso significa que eles podem atravessar facilmente a barreira hemato-encefálica, e apresentam ainda forte ligação com o colágeno.

Além desses principais usos para o Pycnogenol, ele ainda pode ser utilizado para combater diferentes condições médicas, desde problemas na circulação e dores musculares até a impotência, TPM, asma, diabetes e osteoartrite.

Quando ele impede problemas na circulação, o Pycnogenol está melhorando a circulação de sangue nos músculos, o que garante que mais nutrientes e mais energia cheguem a eles. Com isso, o seu desempenho em treinos e exercícios físicos irá melhorar significativamente, pois ele irá diminuir o inchaço e as dores musculares durante o pós treino.

Por fim, outro efeito benéfico do Pycnogenol é a sua melhora no desempenho sexual de quem o consome. O combate à impotência sexual se dá na ação de aumentar o fluxo sanguíneo na região do pênis, fazendo o homem ter ereções  mais satisfatórias se consumido entre uma hora e meia hora antes do ato sexual.

 A dose máxima: 200mg por dia por 6 meses, mas não é a dose usual. Cada caso é um caso e seu médico tem o melhor para você.

Os efeitos colaterais mais comuns são: enxaqueca, problemas no estômago, tonturas e a aparição de algumas feridas na boca.

Como o pycnogenol estimula o sistema imune, portadores de doenças auto-imunes (como por exemplo lúpus, esclerose múltipla, artrite reumatoide) devem evitar o seu uso.

Procure seu médico para maiores informações.

Fonte:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3203267/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/m/pubmed/14659974/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/m/pubmed/26492562/

Tiamina (B1) e seus benefícios

A vitamina B1 ou tiamina é uma vitamina hidrossolúvel essencial para o metabolismo dos hidratos de carbono.

Suas ações ativam as enzimas que controlam os processos bioquímicos entre os quais a decomposição da glicose em energia e também desempenha papel na condução dos impulsos nervosos e no metabolismo aeróbico. A principal função da tiamina é sua ação no metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas, agindo como uma coenzima - a difosfato de tiamina.

A coenzima difosfato de tiamina, em combinação com o fósforo, forma a coenzima tiamina pirofosfato (TPP), que é a chave para várias reações como a transformação da glicose em energia (ATP). A TPP atua como coenzima na descarboxilação oxidativa do piruvato, formando acetato e acetil coenzima A, componente principal da via de Krebs, sendo necessária no metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas.

A deficiência de tiamina pode ser identificada pelos exames laboratoriais.

Normalmente, a deficiência ocorre em pacientes com dependência de álcool, desnutridos, que apresentam vômitos frequentes e após a cirurgia bariátrica.

Alguns sinais de deficiência são insônia, nervosismo, irritação, fadiga, depressão, perda de apetite, falta de energia, dores no abdômen e no peito, sensação de agulhadas e queimação nos pés, perda do tato e da memória e problemas de concentração.

A deficiência pode causar também:

Síndrome da neurite crônica periférica, que pode ou não estar associado à insuficiência cardíaca e edema. Trata-se de uma condição comum que afeta os nervos periféricos, responsáveis por encaminhar informações do cérebro e da medula espinhal para o restante do corpo. A neuropatia periférica pode causar danos permanentes aos nervos, sendo muitas vezes um problema incapacitante e até mesmo fatal.

Beribéri agudo pernicioso (fulminante) no qual a insuficiência cardíaca e as anormalidades metabólicas predominam, com pouca evidência de neurite periférica

Encefalopatia de Wernicke com psicose de Korsakoff, síndrome neuropsiquiátrica associada à falta de tiamina.

O consumo excessivo de açúcar, álcool, café, cigarro e antiácidos pode prejudicar a absorção de tiamina.

Quando consumida junto com fontes de fósforo tem suas ações benéficas potencializadas.

Onde encontrar tiamina: cereais integrais são as principais fontes de tiamina. Outras fontes excelentes são a levedura de cerveja seca, carnes magras, porco, cordeiro, vaca e aves, nozes, leguminosas e legumes secos. Castanha do pára é ótima fonte de tiamina. 

Ela também pode ser manipulada em cápsulas ou feita de forma intramuscular ou endovenosa.

Na forma de suplemento é utilizado no tratamento de acidose metabólica; em pacientes com síndrome anêmica; Pessoas com vômitos persistentes e náuseas graves que possam provocar desidratação, cetose e perda de peso também podem precisar do suplemento, pacientes pós-cirurgia bariátrica, sob terapia renal, hemodiálise ou diálise peritoneal, além daqueles com síndrome de má absorção.

Para maiores informações, procure seu médico. 

* Internet não substitui consulta médica!!!

 

Fonte:

Rodríguez-Martín JL, Qizilbash N, López-Arrieta JM. Thiamine for Alzheimer’s disease. Cochrane Database Syst Rev. 2001;(2)CD001498.

Kril JJ. Neuropathology of thiamine deficiency disorders. Metab Brain Dis. 1996;11(1):9-17.

Mastrogiacoma F, Bettendorff L, Grisar T, Kish SJ. Brain thiamine, its phosphate esters, and its metabolizing enzymes in Alzheimer’s disease. Ann Neurol. 1996;39(5):585-91

 

 

 

Erva de São João (Hypericum perforatum L.) no tratamento da depressão

É uma erva encontrada na Ásia, Europa, EUA e norte da África, também é conhecida como Hipérico. Durante muitos anos foi utilizada como laxante, diurética, antiemética, cicatrizante... mas seu principal efeito é calmante.

Sua composição química: taninos, óleo essencial, pectina, aminoácidos, Vitamina C, fitoesterois, isoquercetina e rutina - ajuda no tratamento da depressão leve a moderada e tem outros benefícios para a saúde. 

Suas ações:

-Antidepressivo (pela ação nos sistemas  noradrenérgicos, dopaminérgicos e serotoninérgicos)

-Controle de ansiedade e insônia

-Antioxidante (pela presença de composto fenólicos que combatem radicais livres)

-Ajuda na cicatrização (ajuda na coagulação e diminui dor e irritação local)

-Antimicrobiana e Antifúngica - inibe crescimento das bactérias e fungos

Por ser calmante, pode ajudar na compulsão e com isso auxiliar no emagrecimento.

 

É  contra- indicado para pessoas com depressão grave, para pacientes em uso de anticoagulantes, em uso de anticoncepcionais orais, grávidas, mulheres amamentando e crianças menores de 6 anos.

 

Doses excessivas podem causar arritmia, turvação visual e até confusão mental.

A dosagem ideal é de 100 a 300mg, mas procure seu  médico para maiores informações.

 

Uma observação importante:

*Não utilizar concomitante com anti-retrovirais - ela pode interferir no efeito!! 

*Não utilizar em pacientes transplantados. Ela pode interferir com a ciclosporina e apresentar rejeição do órgão transplantado.

*Pode diminuir o efeito  do anticoncepcional oral.

*Outras interações: Sinvastatina, antidepressivos tricíclicos, amitriptilina, nortriptilina, anticonvulsivantes, anticoagulantes, varfarina e femprocumona. 

 

Fonte:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-695X2005000300019

http://www.scielo.org/cgi-bin/wxis.exe/applications/scielo-org/iah/?IsisScript=iah/iah.xis&base=article%5Edart.org&nextAction=lnk&lang=p&indexSearch=&exprSearch=ERVA%20DE%20SAO%20JOAO

Corpo em equilíbrio é igual ao Bem Estar - Serotonina, Dopamina e Endorfina

Quanto mais em harmonia seu corpo estiver, mais feliz você fica, não é verdade? Vivemos para nosso bem estar. E é por isso que hoje resolvi falar sobre alguns componentes no nosso corpo que nos ajuda nesse aspecto. 

1) ENDORFINA -é uma substância natural produzida pelo cérebro. 

Já ouviram falar que exercício físico vicia? Isso é verdade por conta da quantidade de endorfina liberada ao praticar atividade física. Mesmo após o exercício, o cérebro continua  liberando-a.

Ela regula a emoção e a percepção da dor, agindo como analgésico natural, calmante e ansiolítico. Melhora também o humor e ajuda a relaxar e gerando bem estar e prazer. 

Para aumentar o  seu nível de endorfina, medite e procure praticar atividade física. 

2) SEROTONINA - é um neurotransmissor produzido no tronco encefálico e cada dia se descobre mais sobre ela. Mas vamos falar do que já foi descoberto.

Ela regula sono, humor, apetite e ainda ajuda a combater a enxaqueca.

A depressão não significa, exatamente, a falta de serotonina em nosso organismo, apesar de ás vezes ser isso mesmo, mas o mais comum é que a transmissão de serotonina não esteja tão efetiva quanto deveria. E isso muda o tratamento. O médico precisa orientar você.

Ela é importante reguladora das vias sensoriais de nosso corpo, inclusive da via dolorosa. Quando há diminuição da recaptação, os estímulos também caem, o que leva à amenização da dor. Isso é importante no tratamento e prevenção da enxaqueca.

O nível adequado de transmissão evita também casos de agressividade, já que o neurotransmissor está ligado ao controle de impulsos em nosso sistema límbico. É importante a qualidade da transmissão para tratamento do humor. 

O problema de transmissão também altera a saciedade. Pessoas com baixa de serotonina ou diminuição da qualidade de transmissão abusam de doces e massas para se sentirem satisfeitas. Isso acontece com pessoas tristes e deprimidas. 

A serotonina em excesso atrapalha o desempenho sexual. Quando há transmissão intensa, a libido cai, chegando a interferir no orgasmo de ambos os sexos. Por isso pessoas que usam antidepressivos têm diminuição da libido.

Para aumentar a Serotonina de forma natural, exercite-se, pegue sol, coma alimentos como cacau, banana...

3) DOPAMINA - é um outro neurotransmissor fundamental para a motivação, foco e produtividade. 

Ela tem um papel importante em vários distúrbios mentais, como: depressão, dependências, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e esquizofrenia.

A dopamina é responsável pelo prazer e recompensa, além de felicidade e euforia. Déficit de dopamina nos deixa fora de foco, desmotivados, com baixa libido, com incapacidade de concentração, apáticos e deprimidos.

Uma coisa importante, é que algumas pessoas com baixa de dopamina abusam de cafeína, álcool, açúcar, drogas, compras, jogos de vídeo, sexo, poder, ou jogos de azar na tentativa de ter aumento desse neurotransmissor.

A dopamina é feita a partir do aminoácido tirosina que vem a partir da fenilalanina, ou seja, alimentação rica em tirosina, aumenta de forma natura a dopamina.

  • - produtos de origem animal; amêndoas; maçãs; abacate bananas; cacau; melancia, semente de abóbora; café; chá verde, feijão, alimentos ricos  em probióticos, como iogurte natura, entre outros...

A saúde intestinal afeta sua produção de neurotransmissores. - Farei um post sobre desbiose intestinal para explicar melhor isso.

Alguns suplementos que podem aumentar os níveis de dopamina naturalmente.

  • A curcumina 
  • Ginkgo biloba é
  • L-teanina
  • Fosfatidilserina
  • L-tirosina/ l Fenilalanina
  • Mucuna (também muito importante no alívio da doença de Parkinson) 

 Além disso, aumente a dopamina com exercício físico e meditação.

Marque sua consulta para maiores informações.

 

 

REFERÊNCIAS:

http://www.healthy-holistic-living.com/increase-dopamine-motivation-molecule.html

https://www.psychologytoday.com/basics/dopamine

http://www.nytimes.com/2009/10/27/science/27angier.html?_r=2&

http://link.springer.com/article/10.1007/s00213-008-1300-y

http://www.apa.org/helpcenter/exercise-stress.aspx

 

Berberina e seus benefícios

Berberina é um composto bioativo que pode ser extraído de várias plantas diferentes, incluindo um grupo de arbustos chamado Berberis - é uma isoquinolina derivada de alcaloides e possui uma grande variedade de benefícios.

Berberina já é utilizado há muitos anos na medicina tradicional chinesa, onde foi utilizado para tratar várias doenças.

Existem muitos e muitos estudos diferentes que demonstram seus efeitos poderosos em muitos sistemas biológicos.

Uma das principais ações da berberina é ativar uma enzima dentro de células chamadas AMP-ativado proteína quinase (AMPK). Essa enzima é encontrada em vários órgãos: fígado, rim, coração, cérebro... e ela atua na regulação do metabolismo. Isso ajuda na redução nos níveis de açúcar no sangue.

Além dessa enzima, ela pode afetar várias outras moléculas dentro das células, e pode interferir na ativação ou desativação de genes.

Diabetes tipo 2 é uma doença grave e silenciosa caracterizada por elevados níveis de glicose no sangue causados pela resistência à insulina ou falta de insulina.

Esses níveis elevados de açúcar no sangue a longo prazo podem ocasionar problemas nos tecidos e órgãos do corpo, levando a vários problemas de saúde.

Muitos estudos mostram que a berberina pode reduzir significativamente os níveis de açúcar no sangue em indivíduos com diabetes tipo 2 com grande eficácia se igualando a outros medicamentos orais para baixar açúcar no sangue, como a metformina.

Mecanismos da Berberina com essa finalidade:

  • Diminui a resistência insulínica.
  • Aumenta a glicólise, ajudando o corpo a quebrar os açúcares dentro das células.
  • Diminuir a produção de açúcar no fígado.
  • Retarda a degradação de carboidratos no intestino.
  • Aumenta o número de bactérias benéficas no intestino.

Estudos provaram, que 1g de Berberina por dia em pacientes diabéticos diminuiu em 20% a glicemia de jejum e hemoglobina glicada em 12%, além de ter diminuído os níveis de triglicerídeos.

Ela também tem outros benefícios:

- Perda de peso

- Reduz risco de doença cardiovascular 

- Ajuda a combater a depressão

- Diminui crescimento e disseminação de vários tipos de câncer

-Ação anti-oxidante e anti-inflamatória

- Combate infecções de vírus, bactérias, fungos e parasitas

-Reduz gordura no fígado e ajuda contra a doença hepática gordurosa não alcoólica

-Melhoras sintomas da insuficiência cardíaca e aumenta sobrevida

 

Gostou das informações? Procure seu médico e saiba mais sobre ela.

 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2410097/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5055107/

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2015/06/22/berberine-benefits.aspx

 

Ácido Ursólico no tratamento da obesidade e mais benefícios

Um artigo publicado na revista Obesity Reviews em Janeiro de 2017 avaliou o uso do
Ácido Ursólico como aliado no tratamento da obesidade.

O Estudo concluiu que o Ácido Ursólico é importante na prevenção e controle da
obesidade, além de apresentar benefício no ganho de massa magra.

BENEFÍCIOS:

  • Inibição do acúmulo de gordura corporal,

  • redução da resistência à ação da insulina por meio do fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1 (IGF-1);

  • atenuação da atrofia muscular; 

  • anti-câncer; 

  • ação antioxidante;

  • efeitos anti-inflamatórios

O Ácido Ursólico é um nutriente natural desenvolvido a partir da casca da maçã ou de um tipo de uva chamada uva ursi. Também pode ser encontrado em doses muito pequenas em outros alimentos como o manjericão, amoras, mirtilos, alecrim, tomilho e ameixas.

Ele pode ser manipulado em cápsulas quando prescrito por médicos e nutricionistas por farmácias de manipulação.

Um estudo conduzido na Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, mostrou que o ácido ursólico pode auxiliar no tratamento de atrofia muscular e a promover o crescimento muscular devido à sua capacidade de influenciar o IGF1 (hormônio do crescimento). Além disso,  melhora a força e ajuda a reduziu a gordura corporal, abaixando o colesterol, regula a insulina e a glicose no sangue.

INDICAÇÕES:

- Preservar massa muscular (anti-catabólico)

- Promover queima de gordura, regular dislipidemias e glicose

- Aumentar nível de hormônio de crescimento

- Prevenção de atrofia muscular

- Efeito anabólico natural

 

Ele é ótimo, não é mesmo?  Procure seu médico para maiores informações.

 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28335087

https://www.m3india.in/content/20170331018521

 

Sobrepeso na mulher e Infertilidade

Algumas mulheres com sobrepeso encontram dificuldade para engravidar por conta do ciclo hormonal. É fácil entender como acontece.

O tecido adiposo produz substâncias chamadas adipocinas, que influenciam a boa comunicação entre as células do corpo. Com essa comunicação dificultada, fica mais complicado executar corretamente as suas funções; essa influência pode inclusive ser exercida sobre as regiões do cérebro responsáveis pelo controle do ciclo ovulatório.

O tecido adiposo em excesso é considerado tóxico para o organismo porque também permite que a gordura seja estocada em diferentes células e tecidos, inclusive nos óvulos, afetando a sua qualidade.

Gordura corporal em excesso interfere diretamente  no ciclo hormonal feminino e causa um sério desequilíbrio. A mulher passa a produzir mais estrógeno (predominância estrogênica) e o corpo reage "controlando" a reprodução e dificultando, assim, as chances de engravidar. O que também pode prejudicar, são doenças relacionadas a obesidade, como a diabetes, resistência insulínica e síndrome do ovário policístico.

Além disso, obesidade é uma das causas de disfunção menstrual, que pode causar menstruações irregulares ou com intervalos maiores do que 35 dias (oligomenorreia), ausência de ovulação e até sangramento disfuncional do útero.

Perder peso pode significar a recuperação das capacidades reprodutivas.

Procure seu médico para maiores informações.

*Obstet Gynecol Clin N Am 39 (2012) 479–493
Fonte: Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

 

 

SOBREMESA SAUDÁVEL

Ás vezes a vontade de comer um doce é enlouquecedora. Pensando nisso, resolvi dividir umas idéias de comer de forma saudável sem perder o sabor.

Coisas que sempre incluo em receitas doces: leite de coco, óleo de coco, farinha de coco, Isocrisp da Vitafor (proteína), colágeno hidrolisado sem sabor, biomassa de banana verde, cacau. A sobremesa além de gostosa, fica rica em substâncias antioxidantes, proteicas, com colágeno... não é incrível?

Então vamos lá... Receita super fácil e prática - para fazer na hora que  a visita chegar...

MOUSSE DE CACAU COM LEITE DE COCO

INGREDIENTES:

Cacau em pó - 100g

Leite de coco - 200ml (depois coloco a receita de como faço o meu)

Biomassa de banana verde - 2 colheres de sopa (já tem um tópico ensinando a fazer)

Colágeno hidrolisado em pó - 1 medida

Isocrisp - para decorar em cima

Morangos para decoração e ajuda a ficar uma delícia

 

COMO FAZER:

Misturar o leite de coco, o cacau, a biomassa e o colágeno até ficar homogêneo. Pode esquentar 30 segundos no microondas para ajudar 

Depois só colocar na taça - acrescentar o Isocrisp e os morangos e colocar para gelar.

 

Tente fazer em casa..

 

Biomassa de Banana Verde - Seus benefícios e como fazer

A biomassa de banana verde tem muitos benefícios. Isso porque ela possui propriedades que auxiliam:

-no emagrecimento - pela ação sacietogênica e de regularização dos picos de glicose;

-na saúde intestinal com desenvolvimento da microbiota;

-prevenção de câncer de intestino;

-regularização intestinal;

-regulariza os níveis de glicemia;

-no acúmulo de gordura abdominal

 

Não espere um milagre dela, mas que ela ajuda isso não podemos negar.

Ela possui boa quantidade de amido resistente, um espécie de fibra  que o aparelho digestivo não digere e serve como alimentos para as bactérias benéficas do intestino. Aí a imunidade já melhora e com isso a prevenção de tumores.

Essa fibra também previne diabetes tipo 2, evitando picos de glicose  no sangue e ajuda a regularizar  o trânsito intestinal, melhorando a prisão de ventre.

Ela é rica em vitamina  A (essencial para saúde dos olhos e da pele), rica em vitaminas B1, B2  e B3  (importante no metabolismo da glicose, dos ácidos graxos e aminoácidos), além de possui grande quantidade de potássio, manganês e fósforo. 

É muito interessante fazer com que ela seja inserida no seu  dia a dia.

 

COMO FAZER?

Retirar a s bananas do cacho preservando os talos.

Lavar bem as bananas

Ferver meia panela de água na panela de pressão

Com a água fervendo, coloque as bananas, tampe e deixe o fogo alto até começar a chiar

Depois que apitar, abaixe o fogo e deixe na pressão por 10 minutos

Desligue e deixe a pressão sair

Abra a panela, retire as bananas e vá retirando as polpas

Coloque  as polpas ainda quente em um liquidificador e acrescente um pouco de água (cuidado, um pouco só)

Bata até formar uma massa bem espessa - a biomassa

-Guarde em pequenas porções para ser utilizadas - pode ser congeladas por  até 2 meses para usar no dia a dia ou na geladeira por 7 dias.

 

COMO USAR?

Utilizar no máximo 1 a 2 colheres de sopa por dia

Ela pode  substituir óleo, creme de leite, maionese, ser adicionada em sucos ou para engrossar doces... ou seja, em várias receitas.

Vou colocar umas receitas com biomassa, mas hoje já vai uma dica:

BRIGADEIRO DE BIOMASSA

Não fazer com a biomassa que já foi congelada

- Ingredientes:

Biomassa de 2 bananas verdes

3 colheres de sopa de cacau em pó

1 colher de óleo de coco

1 colher de sobremesa de essencia de baunilha

- Bater no liquidificador e enrolar as bolinhas com a mão.

Ao invés do granulado, usar ISOCRIP (da marca Vitafor) ou coco ralado

Curta sua receita de forma saudável!